Arte em Vidro

Galeria de Esculturas e peças

Este slideshow necessita de JavaScript.

Coleções Elvira Schuartz

  • PROFANA (1995)

Fantasia - Elvira Schuartz

‘A vivência com Seguso Havia sido uma viagem pelo classicismo. As tradições muranenses, as formas e as técnicas – relidas e reescritas numa linguagem atual – me recobriram de história. Algumas formas eram recorrentes e me atraíram. Eram as primeiras idéias de uma nova coleção: profanar as formas sagradas, torcê-las e distorcê-las, criando a partir delas.

O que é o profano  |  o que é o sagrado  |  Só saberei quem é Deus | Se souber quem é o diabo.

(…)

As formas originais da coleção profana são, portanto, formas extraídas de vidros tipicamente renascentistas. Sobre as formas originais, alguma modificação é feita, como por exemplo nos Amantes (premiado em Luxemburgo), dois vasos originas do século XVI abraçados.” (ATRAVÉS DO VIDRO, ELVIRA SCHUARTZ)

  • MEIO DO MAR (1997)

” No fundo do mar está tudo o que conhecemos. Na superfície está o azul. No meio do mar está o sonho. Dos bilhões de imagens que bombardeiam nosso cérebro a cada minuto, algumas se fazem gravadas na memória com força de eternidade. Uma dessas imagens que guardo foi a do meu primeiro mergulho no Mar Vermelho. Um mundo quase onírico debaixo d’agua – cores berrantes e harmônicas que gritam aos sentidos e, ao mesmo tempo, repousam a alma.” (ATRAVÉS DO VIDRO – ELVIRA SCHUARTZ)

  • CORPO FRÁGIL (1998)

Bailarina

Dorsos

Criança

Roupas

Tudo que não se cuida |  se quebra  | Se  destrói de alguma maneira

Esta é a grande lição que trabalhar com o vidro me deixou. Se não cuidamos de um livro, ele se estraga, se não cuidarmos de uma planta ela morre, se não cuidarmos de um amor ele se acaba, mas tudo isso só acontece ao longo do tempo. Já o vidro, neste sentido, é inplacável: se não cuidarmos de um vidro ele se quebra imediata e cruelmente. Ainda que restaurado, jamais será o mesmo.

Na coleção Corpo Frágil, procurei trabalhar o vidro como um tecido, simbolizando o que temos de mais próximo do corpo.” (ATRAVÉS DO VIDRO – ELVIRA SCHUARTZ)

  • BRASIL 500 ANOS (1999)

‘Nosso país não tem tradição em vidro. Aquilo que sensibiliza o Velho Mundo há quase 5 mil anos, aqui tem pouco mais de um século enquanto industria, e sua arte tem menos de cinquenta anos. Mas se, do ponto de vista da tradiçõa, ainda somos jovens vidreiros, que nossa arte mostre nossas cores exuberantes e toda a vida que pulsa em nossa natureza.

Assim é a coleção Brasil 500 anos, inspirada nas formas e cores da nossa natureza, como um presente de aniversário à pátria.” (ATRAVÉS DO VIDRO – ELVIRA SCHUARTZ)

  • MARCAS DO TEMPO (2000)

“O tempo é a grande vedete da virada do século. Aquele que passa a cada fração de segundo de repente se faz perceber numa grande e ao mesmo tempo simbólica divisão – a virada do milênio!

Quando se fala em tempo, eu me pergunto: ‘ O que é tempo?’ . Nada palpável ou tangível.  Apenas algo que se reflete e pode ser medido em algumas marcas da natureza como o sol que nasce e se põe, a maré que sobe e desce, a semente que brota. Enfim, nos quatro elementos da natureza – água, terra, fogo e ar.”

Não me toque |eu não existo | não me segure | eu não paro | não ignore | eu não volto |

Quando me queres eu vôo | quando me evitas nã passo | Sou tudo no espaço | nada no coração



  • ODISSÉIA (2001)

Nave

“Um dos filmes que mais me marcaram a adolescência, nos anos 70, foi 2001-Uma Odisséia no espaço (1968), de Stanley Kubrick. Toda a vida eu passei acreditando que em 2001 viria a conquista do espaço, que habitaríamos planetas longínquos, viveríamos como os Jetson. percorrendo a galáxia em discos voadores.  O ano de 2001 chegou e a Odisséia continua sendo a Terra.

A coleção Odisséia é uma viagem  e um tributo ao espaço, que , embora não se tenha tornado área urbana e habitada, continua intrigando o homem, com seus mistérios e grandezas” (ATRAVÉS DO VIDRO – ELVIRA SCHUARTZ)

  • ASSIMETRIAS (2002)

HILL

“Aquele que sempre me conduziu pelas fronteiras dos sonhos e dos países, o querido Daniel Raicher, me levou a Glasgow e a Barcelona., onde conheci os dois maiores gênios da arquitetura que fizeram história na Europa do incio do século XX: os modernistas Antoni Gaudi e Charles Rennie Mackintosh. Aparentemente de estilos opostos – Gaudí distorceu volumes, Mackintosh distorceu linhas -, mas com pressupostas comuns: romper com a simetria.

A coleção Assimetrias é inspirada nas formas e nos traços criados por eles.”

Se muros fossem palavras | Gaudí teria inventado a canção

Com dois pontos desenho uma linha | Com uma linha desenho o mundo


  • METAMORFOSE (2003)

“Tudo muda o tempo todo.  Mas só em alguns determinados momentos  nos damos conta da mudança – e nos surpreendemos com ela. Como num processo de metamorfose, quando nos damos conta a transformação já se deu: o filho cresceu, o prédio ficou pronto, a raiz quebrou o vaso.

As formas criadas em Metamorfose procuram mostrar momentos marcante em que se dá uma transformação, como acontece com o casulo, o ninho e a larva .”

A cada dia tudo muda um pouco | Muda a larva em borboleta | Muda a palavra da sua letra | nasce

um corpo de um pedaço | A cada dia mudo eu um pouco | Mudam as dobras da minha pele |

Muda o mundo da minha janela | Faz-se uma estrela em meu espaço


  • YANOMÂMI (2004)

Yanomâmi

Escultura Arco

“A vida indigena sempre me encantou. A sabedoria dos costumes simples, o respeito à natureza e ao ser humano… Na faculdade de psicologia, fui monitora de antropologia por três anos e tinha enorme prazer em estudar a cultura dos índios.

Bastou um pequeno cartão postal, com uma foto alusiva aos índios Yanomâmi em uma loja de artesanato, para reacender essa antiga paixão. Conhecer mais profundamente esta tribo tão singular, tão heroicamente preservada ao longo do tempo foi um deleite à parte.

Os Yanomâmi são uma arte em si: as armas, os utensílios domésticos, a pintura das canoas, do corpo, tudo grita nas cores da palha, do urucum e do carvão.”

É da terra que eu vim | eu sou um pedaço dela | se levares minha terra | leváras a mim



  • BAHIA(2005)

Chapada Diamantina

Gandi

  • KALAHARI(2008)

Oasis e Deserto

A coleção foi inspirada no deserto do Kalahari e nos suricatos – um dos animais mais bem adaptados da região. Kalahari – em Tswani ‘Kgalagadi’ – quer dizer “grande sede”. O deserto do Kalahari, localizado no continente africano, não é exatamente um deserto, mas uma das áreas mais inabitadas do planeta.

“Conhecendo um pouco mais estes simpáticos mangustos, penso que somos todos um pouco suricatos tentando viver alegremente, num imenso kalahari” Elvira

  • MAGMA(2009)

Lava e Magma

  • ART ECÔ (2010)

Anel Horizonte | Cristal e prata 950K

Anel Garimpo | Cristal e prata 950K

Anel Ninho | Cristal e latão com banho de ródio

Série Bambu - anel e pulseira | Cristal e prata 950K

Anúncios

14 Respostas para “Arte em Vidro

  1. aldenir

    sempre achei belas as peças de vidros, e depois que eu entrei neste site min encantei com esse trabalho.gostaria de receber sempre e-mail desse trabalho de vcs. quem sabe um dia eu posso fazer esse curso, obrigado

  2. estela

    OLÁ. GOSTARIA MUITO DE FALAR COM A ELVIRA, POR EMAIL, ESTA ARTISTA MARAVILHOSA QUE AINDA VOU CONHECER PESSOALMENTE, QUERO MUITO FAZER UM DE SEUS CURSOS, ATUALMENTE FAÇO APENAS FAÇO FUSING E JÁ SOU APAIXONADA. COMO ENVIO UM EMAIL PARA ELA MESMO?

  3. Teila Carolina

    oi, li em um livro de romanance onde a personagem fazia arte arte em vidro e fiquei curiosa, foi assim que decidi pesquisar sobre o assunto e achei o site.
    o que mais me chamou a minha atenção no site foi os aneis, brincos,… que achei bem interesante, e gostaria de receber emeail sobre novidadedes e ou informações sobre qualquer tipo de arte em vidro.
    Obrigada

    • Teila,
      Vamos cadastrar o seu email, assim vc ficará ao par das novidades!
      Venha nos visitar quando puder, estamos no Pacaembú. Vc pode ver trabalharmos o vidro… é muito bonito!
      Abs
      Elvira

  4. italo

    Belíssimos……………

  5. Silvia Stumpo

    Gostaria de receber emails de voces,mostrando os trabalhos……..sou uma apaixonada!!!!!!!!!!!!!!!

  6. ELIAS FIGUEIREDO FERNANDES

    ELVIRA, BOA TARDE.
    SEMPRE GOSTEI DA ARTE EM VIDRO, CONTUDO CONFESSO QUE DEPOIS DE VISITAR O SEU SITE ME APAIXONEI RSRSRS.
    GOSTARIA DE SABER SE POSSO E CLARO SE NÃO ATRAPALHAR O SEU EXPEDIENTE, ESTAR VISITANDO O SEU ATELIER.
    TENHO ESPECIAL INTERESSE PELA ARTE DE VITRO FUSÃO.

  7. trabalho com vidro a 35 anos e sempre gostei do seu trabalho , trabalho com vidro ciêntifico na UFPR atualmente dou curso p/ alunos da graduação em química . mande mais fotos dos seus trabalhos . esta de parabens . Paulo

  8. ivonilda torres tatagiba de oliveira

    boa tarde Elvira seu trabalho e perfeito, estou começando na arte de fusão
    gostaria de tirar uma duvida: como posso fortalecer a resistência mecânica de uma peca pois as vezes acho mais fraca que as do mercado de venda comum obrigado e aguardo retorno

    • A resistencia mecanica da peça de vidro feita em fusao é proporcional ‘a espessura do vidro.
      A resistencia ‘a variaçao de temperaturas tem a ver com o recozimento do vidro, isto é – o tempo que vc deixa uma peça no forno de recosimento antes chegar na temperatura ambiente.
      abs
      Elvira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s